Flor de Lótus

Author: srta. borboleta /

No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração.
Rabindranath Tagore

3 comentários:

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sheila Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Oie, adorei seu espaço. Os textos revitalizam e as figuras encantam. Reler Cecília Meireles é sempre uma benção. Não há melhor descrição para a alma feminina do que o famoso "tenho fases como a lua"... Também gosto de escrever sobre essas inquietações tão peculiares da mente feminina. Quando quiseres conhecer meu espaço, sejas bem-vinda.

http://sheilacristinaandrade.blogspot.com/

Sheila.

Franzé Oliveira disse...

Lindo o seu blog, viu. Bjos com carinho.

manzas disse...

Sublimes versos escapam das almas dos poetas
Viajando até ao fundo dos céus como balões …
Suspensos ficam no tecto brilhando poesias inquietas
Reflectindo olhos orvalhados em prados de emoções

Dedicado a todos
Os poetas e poetisas
Deste mundo,
Os que já adormeceram,
E aos outros
Que ainda nem sono têm...

Bem hajam!

Uma boa sexta-feira e um melhor fim-de-semana…

O eterno abraço…

-MANZAS-

Postar um comentário